O uso intensivo das TICs a partir do ensino remoto emergencial nas escolas e o impacto do distanciamento social para professores e alunos no período da COVID-19

Autores/as

  • Darlene do Socorro Del-Tetto Minervino
  • Joelma Del-tetto Minervino Vieira
  • Maria de Fátima Soares Ferreira
  • Maria Salomé Gomes Sares

Palabras clave:

COVID-19, Ensino Remoto Emergêncial, Saúde Mental, Tecnologia Educativa

Resumen

Este artigo aborda questões relacionadas ao período de pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) na sociedade global e o impacto diante das restrições sociais que afetaram todas as atividades na sociedade, inclusive o setor educacional. A pesquisa traz uma investigação aprofundada nos estudos científicos partindo do problema sobre o impacto que o distanciamento social provocou nas instituições de ensino no Brasil e a repentina mudança para o modelo de ERE que intensificou o uso das TICs, gerando entre professores e alunos ansiedade e stress. A metodologia fundamenta-se numa pesquisa bibliográfica de cunho exploratório, possibilitando maior familiaridade com o problema pesquisado permitindo recolher informações fidedignas para o aprofundamento e análises dos estudos. As dicussões partem dentro da abordagem qualitativa para compreender as implicações reais da crise sanitária e seus efeitos na educação brasileira, sendo este um fenômeno recente. O tema se coloca nas discussões como atual e relevante para educadores, sociedade e comunidade científica, sobre como mitigar os efeitos negativos no ensino e ao mesmo tempo projetar decisões efetivas na educação durante e pós-pandemia da COVID-19.

Citas

Alcici, S. A. R. (2014). A escola na sociedade moderna. In: Manfredini, B., Yamada, B., Almeida, N. (Org.). Tecnologia na Escola: abordagem pedagógica e abordagem técnica. Cengage Learning. BRASIL (2020). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP Nº 05/2020. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/ atos-normativos--sumulas-pareceres-e-resolucoes/33371-cne-conselho-nacional-de-educacao/85201-parecer-cp-2020 BRASIL (2021). Ministério da Educação e Cultura. Portaria Nº 544/06/20 do Ministério da Educação (MEC), que ‘Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus-COVID-19’. https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-544-de-16-de-junho-de-2020-261924872 BRASIL (2021b). Ministério da Saúde. Ministério da Saúde divulga resultados preliminares de pesquisa sobre saúde mental na pandemia. https://antigo.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/47527-ministerio-da-saude-divulga-resultados-preliminares-de-pesquisa-sobre-saude-mental-na-pandemia%20 BRASIL (2020b). Ministério da saúde. Organizações Internacionais. https://antigo.saude.gov.br/assessoria-internacional/organizacoes-internacionais Costin, C (2020). A escola na pandemia: 9 visões sobre a crise do ensino durante o coronavírus. 1ª ed. Ed. do Autor. Freire, P. (2005). Pedagogia do oprimido. Paz e Terra, 42ª edição. 2005. Gil, A. C. (2010). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. Atlas, 2010. IU – Instituto UNIBANCO (2021). Estudos estimam impactos da pandemia na aprendizagem. https://www.institutounibanco.org.br/conteudo/estudos-estimam-impacto-da-pandemia-na-aprendizagem/ Kenski, V. M. (2003). Tecnologias e Ensino Presencial e a Distância. Série Prática Pedagógica. Campinas, SP: Papirus Editora. Lakatos, E. M. y Marcony, M. De A. (2010). Metodologia científica. Atlas. Malavé, M. (2021). O papel das redes sociais durante a pandemia. http://www.iff.fiocruz.br/index.php/8-noticias/675-papel-redes-sociais. OPAS/OMS (2021). O potencial das tecnologias da informação de uso frequente durante a pandemia. https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52023/Factsheet-TICs_por.pdf?sequence=16

OPAS/OMS (2021). Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde. Saúde mental dos adolescentes. https://www.paho.org/pt/ topicos/saude-mental-dos-adolescentes. Pena, B. y Minervino, D.S.D. (2021). Prática Docente E A Utilização Das Tecnologias Digitais E O Ambiente Virtual De Aprendizagem – Ava: uma análise no ensino de Química em tempos de COVID-19 no ano de 2021. epositorio.ifap.edu.br. Ramos, A. (2003). Introdução à psicologia social. 4. ed. UFSC. Strey, M. N. (Org.). Psicologia Social Contemporânea. 7. ed. Vozes. Todos pela Educação (TPE) (2021). Nota Técnica. O Retorno as Aulas Presenciais no Contexto da Pandemia da Cvid-19. https://static.poder360.com.br/2020/05/todos-pela-educacao.pdf UNESCO (2021). Reabertura segura das escolas deve ser prioridade, alertam UNICEF, UNESCO e OPAS/OMS. https://pt.unesco.org/news/reabertura-segura-das-escolas-deve-ser-prioridade-alertam-unicef-unesco-e-opasoms UNESCO (2021b). A UNESCO reúne organizações internacionais, sociedade civil e parceiros do setor privado em uma ampla coalizão para garantir a #AprendizagemNuncaPara. https://pt.unesco.org/news/unesco-reune-organizacoes-internacionais-sociedade-civil-e-parceiros-do-setor-privado-em-uma UNICEF (2021c). UNICEF alerta: garantir acesso livre à internet para famílias e crianças vulneráveis é essencial na resposta à Covid-19. https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/unicef-alerta-essencial-garantir-acesso-livre-a-internet-para-familias-e-criancas-vulneraveis

Descargas

Publicado

2022-09-21

Cómo citar

Del-Tetto Minervino, D. do S., Del-tetto Minervino Vieira, J., Soares Ferreira, M. de F., & Gomes Sares, M. S. (2022). O uso intensivo das TICs a partir do ensino remoto emergencial nas escolas e o impacto do distanciamento social para professores e alunos no período da COVID-19. Arandu UTIC, 9(1), 301–316. Recuperado a partir de http://www.utic.edu.py/revista.ojs/index.php/revistas/article/view/152

Número

Sección

Artículos de Revisión