A Formação do Educador Infantil e sua Relação com a Práxis Educativa

Autores/as

  • Cleusa Marise Kreusch Gulini

Palabras clave:

formação do professor, educação infantil, currículo, práxis

Resumen

O objetivo da pesquisa é identificar as necessidades formativas do educador infantil e o currículo da academia que o forma, constatando as condições que dificultam a reflexão sobre a prática do educador infantil, pesquisando aspectos que podem tornar deficitária a formação inicial do educador infantil e verificando a concepção do professor de educação infantil sobre as bases teóricas e práticas que o formaram. A intenção de pesquisar esse tema foi em razão da maioria dos educadores da Educação Infantil, da rede municipal de ensino de Imbuia – SC, apesar de possuir uma formação em nível de graduação e especialização, não exercitam reflexão e mudanças significativas em sua prática pedagógica. Esta pesquisa utiliza um enfoque quantitativo, com nível exploratório e descritivo. Para respaldar o procedimento recorremos a pesquisa de referência bibliográfica, assim como a aplicação de um questionário a 16 educadores de educação infantil, efetivos e pós-graduados da rede municipal.

Citas

Antunes, Celso. (2004). Educação Infantil: prioridade imprescindível. Petrópolis: Vozes.

Biografia. Paul Ricoeur. http://www.unisinos.br

Brasil. (1998). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF.

Cervo, Amado Luiz. (2002). Metodologia Científica. (5.ed.). São Paulo: Prentice Hall.

Chalita, G. (2001). Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente.

Cotrim, G. (1999). História e Consciência do Brasil. São Paulo: Saraiva.

Delors, J. (2000). Educação – um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre a Educação para o século XXI. (4. ed.). São Paulo: Cortez.

Fazenda, I. (Org.). (2004). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. (6. ed.). Campinas: Papirus.

Finger, M. (1988). As implicações sócio epistemológicas do método biográfico. In: Nóvoa, A. e Finger, M. (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Cadernos de formação Nº 1. Lisboa: Pentaedro Publicidade e Artes Gráficas.

Fischer, G. J. (1998). O paradigma da palavra. A educação cristã entre a modernidade e a pós-modernidade. São Leopoldo: Sinodal.

Freire, P. (1987a). A importância do ato de ler. (19. ed.). São Paulo: Cortez.

Freire, P. (1992). Pedagogia da Esperança. (13. ed.). Rio de Janeiro: Paz e terra.

Gil, Antônio Carlos. (1999). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Giroux, H. A. (1997). Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artes Médicas.

Hernández, Fernando; Ventura, Montserrat. (1998). A organização do Currículo por Projetos de Trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas.

Imbernón, F. (1999). A educação no século XXI – os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artmed.

Japiassu, H. (1983). A Pedagogia da incerteza. Rio de Janeiro: Imago.

Josso, M.-C. (1988). Da formação do sujeito... Ao sujeito da formação. In: Nóvoa, A.; Finger, M. (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Cadernos de formação Nº 1. Lisboa: Pentaedro Publicidade e Artes Gráficas.

Josso, M.-C. (2004). Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2004.

Lakatos, Eva Maria; Marconi, Marina de Andrade. (2003). Técnicas de Pesquisa. (5. ed). São Paulo: Atlas.

Linhares, C. F. S. (2000). Saberes docentes: da fragmentação e da imposição à poesia e à ética. In: Revista Movimiento. nº 2, set.

Kieckhoefel, L. A busca do sentido pelo sujeito que se percebe interdisciplinar. In: Fazenda, I. C. A. (Org.). (2006). Interdisciplinaridade na educação brasileira: 20 anos. São Paulo: Criarp.

Marconi, Marina de Andrade. (1999). Técnicas de Pesquisa. Planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração e análise e interpretação de dados. (4. ed.). São Paulo: Atlas.

Mizukami, M. da G. N. et al. (2002). Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar.

Moreira, A. F. B. (Org.). (1997). Currículo: questões atuais. Campinas: Papirus. Nóvoa, A. (1995a). Profissão professor. (2. ed.). Portugal: Porto.

Nóvoa, A. (1995b). Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Nóvoa, A. (2004). Diz-me como ensinas, dir-te-ei quem és e vice-versa. In: Fazenda, I. C. A. (Org.). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. (6. ed.). Campinas: Papirus. Nóvoa, A. (Org.). (1992). Vidas de professores. Portugal: Porto.

Oliveira, Zilma Ramos de. et al. (2002). Creches: crianças, faz-de-conta & cia. 9. ed. Petrópolis: Vozes.

Parra Filho, Domingos. (1998). Metodologia Científica. São Paulo: Futura.

Perrenoud, P. (1990). Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

Perrenoud, P. (1993). Práticas pedagógicas, profissão docente e formação: perspectivas sociológicas. Lisboa: Dom Quixote.

Perrenoud, P. (2002). A prática Reflexiva no Ofício de Professor: Profissionalização e razão pedagógica. Trad. Cláudia Schlling. Porto Alegre: Artmed.

Perrenoud, P. et. al. (2001). Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? Tradução Fátima Murad e Eunice Gruman. (2. ed.). Porto Alegre: Artmed.

Piaget, J. (1970). Psicologia e pedagogia. Rio de Janeiro: Forense.

Pimenta, S. G. (Org.). (1995). O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? (2. ed.). São Paulo: Cortez.

Ramos, P. (2007a). Os pilares da metadisciplinaridade no planejamento. (2. ed.). Blumenau: Odorizzi.

Ramos, P. (2007b). Como tornar-se um professor inesquecível na metadisciplinaridade. (5.ed.). Blumenu: Odorizzi.

Ramos, P. (2007c). Os pilares da metadisciplinaridade para educação e avaliação. (5. ed.). Blumenau: Odorizzi.

Ramos, P.; Ramos, M. M. (2007d). Os caminhos metodológicos da pesquisa: da educação básica ao doutorado. (3. ed. rev.). Blumenau: Odorizzi.

Ricoeur, P. (1991). O si mesmo como um outro. Trad. Lucy M. César. Campinas: Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Roesch, Sylvia Maria Azevedo. (2005). Projetos de estágio e de Pesquisa em Administração. (3. ed.). São Paulo: Atlas. A Formação do Educador Infantil e sua Relação …

Sampieri, Roberto Hernández; Collado, Carlos Fernández e Lucio, Rilar Baptista. (2006). Metodologia de La Instigación. (4. ed.). México: Mc Graw-hill. Interamericana.

Schön, D. A. (2002). Educando o profissional reflexivo. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

Silva, T. Tadeu da. (1997). Currículo e cultura. Palestra proferida na jornada de Educação da UNICAMP. Campinas, São Paulo, 1997.

Descargas

Publicado

2022-09-21

Cómo citar

Kreusch Gulini, C. M. (2022). A Formação do Educador Infantil e sua Relação com a Práxis Educativa. Arandu UTIC, 9(1), 53–75. Recuperado a partir de http://www.utic.edu.py/revista.ojs/index.php/revistas/article/view/140

Número

Sección

Artículos de investigación